Ministro do Evangelho não deve ser candidato

Amados ministros do Evangelho do Senhor Jesus.

A Graça e a Paz da parte de Deus e do nosso Senhor Jesus Cristo.

José Albos Rodrigues, discípulo do Senhor Jesus Cristo e ministro da Palavra de Deus, aos que combatem o bom combate apressando e aguardando a vinda do Senhor Jesus.

Na condição de filho de Deus, um discípulo do Senhor Jesus não pode nem deve estar envolvido com negócios deste mundo, principalmente, aqueles que adotam práticas como escárnio, partidarismo, prostituição, mentira, competição, calúnias, democracia etc., como é o caso das eleições.

Um filho de Deus não pode ignorar a autoridade que possui, nem deve deixar a sua responsabilidade para com o Reino de Deus para buscar se revestir de autoridade mundana, constituída por métodos humanos profanos e mediante regras, leis e pactos satânicos como são as eleições político-partidárias. Veja os sites www.albos.com.br e www.tvdafamilia.com, onde estão explicados em detalhes os temas competição, democracia, eleição e voto à luz da Bíblia.

Entretanto, muitos irmãos em Cristo estão envolvendo-se equivocadamente em eleições, por não terem o conhecimento da Verdade sobre os perigos e a gravidade disso para a Amada Igreja. Lembrem-se de como uma capa fez Acã contaminar espiritualmente uma nação, como uma mentira levou Ananias e Safira ao perigo de contaminação da Igreja. Em ambos os casos o Senhor tomou a sua medida justa.

Nos tempos atuais estamos vendo a Igreja passando por crises de identidade seríssimas e o diabo destruindo as famílias porque há aqueles que, dizendo-se irmãos se candidatam e contaminam as mentes fracas e os discípulos neófitos com doutrinas satânicas como democracia, competição etc.

Eu recebi do Espírito Santo a direção de elaborar e submeter esta mensagem para a apreciação dos amados com o objetivo de exortar com muito amor e contribuir para a edificação da Amada Igreja, levando-a a meditar sobre esses assuntos com urgência.

A existência de diferentes entendimentos por parte de alguns irmãos sobre os assuntos citados anteriormente, por falta da revelação genuína da Palavra de Deus, me fez estudar o assunto e compartilhar o que aprendi; lições essas que estão nos sites indicados.

Ao ler a Bíblia e meditar dia e noite, tive o entendimento de que Deus mandou o Seu Filho, Jesus, para ser Rei, e que todos devem se submeter a Ele, que está acima de qualquer autoridade humana; porque Ele é Senhor, Salvador, Cabeça, Sumo Sacerdote, Pastor, Bispo, Apóstolo, Profeta, único Mediador entre Deus e os homens e dono dos remidos; porque pagou com o Seu sangue e a Sua vida o preço do nosso resgate, redenção e salvação.

Ao conjunto de todos os Seus discípulos, o Senhor chamou de “Minha Igreja”, declarando, inclusive que, contra Ela, as portas do inferno não prevalecerão. Depois que ressuscitou, Ele passou quarenta dias aparecendo aos Seus discípulos, ensinando-os a conduzir a Sua Igreja com o objetivo de fazer o Evangelho chegar a toda criatura.

O Senhor deu a Ela poderes para, em Seu Nome, fazer tudo aquilo que o Espírito Santo mandar. Com isso, o poder sobrenatural de Deus passou a se manifestar na Terra, sendo exercido por Seus discípulos, fazendo prevalecer o governo de Deus sobre todos.

Isso significa que, como filhos de Deus, temos autoridade suficiente para, em nome do Senhor Jesus, fazermos a vontade de Deus aqui na Terra; porque, além de filhos, somos embaixadores de Deus, em Cristo, dispenseiros dos mistérios de Deus, sal da Terra, luz do mundo e mais que vencedores.

Por isso, nenhum ser humano possui autoridade acima daquela que Deus deu ao Senhor Jesus (Mt 28:18) nem da que Este deu aos Seus discípulos. Ou seja, os filhos de Deus possuem poder e autoridade que estão acima de qualquer instituição humana.

Isso significa que um discípulo do Senhor não precisa ser uma autoridade humana constituída por sistemas e práticas abomináveis como competição, democracia, eleições etc. para poder fazer o bem a alguém ou mesmo ganhar uma nação inteira para o Senhor.

Mesmo porque Deus, em sua Soberania e por causa da Sua Santidade não depende de instituições humanas para fazer se cumprir a sua vontade na Terra. Ele pode usar quem Ele quiser, permitir o que bem entender, mas um discípulo não pode se curvar às instituições mundanas, alegando que só por meio delas tem oportunidade para fazer o bem.

Ou seja, um discípulo do Senhor não pode entregar a César o que é de Deus, subjugando o poder e a autoridade que Deus lhe deu a uma autoridade humana. Ele não precisa de um cargo para fazer o povo ter saúde, educação, provisão, chuva, segurança etc., porque o Senhor Jesus já lhe ensinou como dar essas e muitas outras coisas a alguém em Seu Nome.

Embora tenhamos que nos submetermos às autoridades humanas, isso não deve acontecer quando elas nos obrigam a irmos contra a Palavra de Deus, como foi o caso dos discípulos que disseram às autoridades do povo: “mais importa obedecermos a Deus do que a homens”. Isso significa que, quando as autoridades humanas nos tentam para ultrapassar a doutrina de Cristo, devemos resistir até a morte, segundo a orientação do Espírito Santo. Logo, o filho de Deus não pode nem deve se envolver em competições, sistemas democráticos, eleições político-partidárias, nem mesmo votar em candidato algum.

Quem assim proceder estará envolvido e cúmplice com obras das trevas. E pior: se votar em alguém que, dizendo-se filho de Deus, é candidato, o seu voto estará induzindo e empurrando este candidato para as garras de satanás; além de contribuir com maus exemplos para contaminar outros irmãos em Cristo a enveredarem por estas práticas malignas. Que Deus os abençoe abundantemente.

Esta entrada foi publicada em Democracia e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Ministro do Evangelho não deve ser candidato

  1. I simply want to tell you that I am just newbie to weblog and actually enjoyed you’re web blog. Likely I’m going to bookmark your blog . You definitely have very good writings. Thank you for sharing with us your web page.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *